Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2007

Peter Hylton: sobre funções e operações no Tractatus

No artigo “Functions, operations, and sense in Wittgenstein’s Tractatus”, Peter Hylton analisa as principais passagens do Tractactus Logico-Philosophicus que apresentam as teses sobre a noção de operação. A noção de operação, segundo Hylton, desempenha um papel fundamental. Uma vez que todo trabalho representativo é atribuído às proposições elementares e como também temos proposições não-elementares constituídas a parir das elementares, então devemos explicar como é possível construir proposições não-elementares a partir de elementares sem que a função representativa tenha que ser redefinida em relação às proposições não-elementares. Para tanto, a noção de operação é fundamental. Isso, no entanto, encontra um problema interpretativo importante.
O problema interpretativo origina-se, segundo Hylton, na insistência de Wittgenstein em diferenciar operações de funções. Aqui, os interlocutores de Wittgenstein seriam Russell e Frege. Se isso é verdade, então a concepção de função do Tractatus

Peter Hylton sobre funções proposicionais

Segundo Hylton, há uma diferença técnica entre Russell e Frege em relação ao tratamento das funções. Para Frege as funções seriam admitidas como primitivas enquanto para Russell não, pois ele assume funções proposicionais como primitivas e define funções não proposicionais a partir das proposicionais. Esta diferença técnica revela, no entanto, uma diferença filosófica importante entre Russell e Frege. Se tenho uma função primitiva, então tenho uma expressão denotativa complexa que se refere a objetos. Se tenho, porém, uma função proposicional, o seu resultado é uma proposição. A diferença entre os dois casos, de acordo com Hylton, é que a expressão denotativa complexa tem uma complexidade semântica que não é refletida nos objetos, enquanto uma função proposicional tanto quanto uma proposição são entidades complexas estruturadas. Se aplico a função proposicional ‘x é calvo’ a ‘Sócrates’, o valor é a proposição ‘Sócrates é calvo’ que contém o objeto ‘Sócrates’ e tem a mesma estrutura d…